Destaque

Qual é a sua meta? Como alcançar as maiores metas da sua vida!

Olá empresário, tudo bem? Meu corpo queria parar, o cansaço era muito forte. Vários desistiram no caminho, outros passaram mal e não aguentaram. Passei ao lado deles, eu segui em frente, mas entendia perfeitamente o que eles estavam sentindo. Não poderia julgá-los.
Após três horas sem parar ainda faltava um bom caminho pela frente. Os pensamentos de incapacidade e desistência eu já havia vencido meses antes. Minha cabeça já sabia que esse papinho de “você não vai conseguir, é melhor desistir”, não iria colar. Mesmo assim não estava fácil. Minha meta nunca havia sido tão alta, meus músculos já não respondiam como eu gostaria.Vontade de deitar em algum canto e passar o resto do dia (ou da semana) por ali.
Alguns pararam quando faltavam menos de 1000 metros. Passei por estes também. Para quem assistiu isso na televisão pareceu incompreensível parar ali, mas eu compreendi exatamente o que eles sentiam. Simplesmente não havia mais nada para extrair do seu corpo, ou de sua mente.


Completei. Alcancei a minha meta. Completei a corrida.

No último fim de semana fui ao Chile participar da Maratona Internacional de Santiago. Foram 42.195 metros correndo sem parar. Durante a prova, a preparação para ela e a recuperação pós prova tive vários insights interessantes sobre como escolher, monitorar e alcançar as maiores metas da minha vida e quero compartilhar com você, pois acho que isso pode te ajudar a ter maiores resultados também.

Por que estabelecer metas?

Não nascemos para sermos pagadores-de-boleto (muito menos não-pagadores-de-boleto!). O pagador-de-boleto é aquele ser que nasce, cresce, paga seus boletos, se reproduz, paga ainda mais boletos, se aposenta, paga outros boletos e morre.
Não estou falando apenas no sentido financeiro, mas em todas as áreas: sua família, seus bens, sua saúde, seus relacionamentos com as pessoas e com Deus, seus amigos, suas viagens, sua empresa, o seu legado para a humanidade… Deus te criou pra ser mais que um pagador-de-boleto.
Por isso gosto de metas. Metas nos fazem crescer. Desafiam e motivam nossa equipe, nossa família, nos levam a resultados surpreendentes, nos dão uma definição de sucesso.

Escolha bem suas metas

Todos já sabemos para onde vai esta história de “não vamos colocar uma meta, e quando chegar na meta, dobramos a meta”. Então é hora de começar a escolher as suas metas. Não seja apenas um passageiro na sua vida. Se você não escolher, alguém vai escolher por você.
Eu tenho metas para 30, 10 e 1 anos, para praticamente todas as áreas da minha vida. As de 30 anos são mais filosóficas, as de 10 são visionárias e as de 1 ano são bem específicas. 


Escolha metas altas, mas atingíveis

As metas precisam ser relevantes, provocativas e desafiadoras. Escolha aquelas que te obriguem a sair da zona de conforto e alcançar um resultado que coloque você, a sua empresa ou a sua equipe em um outro patamar, avançando em direção ao propósito que vocês tem.
Eu gosto de flertar com o impossível nas minhas metas por acreditar que a força e a capacidade vêm de Deus, mas sigo uma regra que limita a razoabilidade, mas aumenta o % de sucesso: Você precisa conseguir enxergar.
Você consegue ver sua empresa faturando o dobro até Abril de 2019? Como seria isso? Quantas pessoas você teria que contratar a mais? Cabe no seu escritório atual? Como você vai gerenciar isso?… Consegue enxergar? Então escreva: Faturar R$X/mês até Abril de 2019.
Decidi correr a maratona quando completei a primeira meia-maratona (21K), há cinco meses. Terminei cansado, foi difícil, mas olhei pra mim mesmo e consegui me ver fazendo mais que aquilo. A maratona seria o dobro do meu máximo (ou seja: uma meta relevante), mas eu podia enxergar (ou seja: atingível).

Determine a data limite e a definição de sucesso

Como você vai saber se você alcançou a sua meta? Se a sua meta for apenas faturar mais, melhorar a qualidade, melhorar a satisfação dos clientes ou melhorar a gestão da equipe, você provavelmente não sairá do lugar.
Torne sua meta mensurável e específica, descreva como você saberá que aquela meta foi cumprida. Até as metas qualitativas podem ser mensuradas para que você tenha uma definição de sucesso.
Coloque uma meta para o percentual limite de retrabalho, para você saber que a qualidade melhorou, ou utilize ferramentas como o NPS para mensurar a satisfação dos clientes. O que você não mede, não melhora.
Qual é a data para alcançar esta meta? Estabeleça uma data fixa. Não me venha com “nos próximos meses” e muito menos “o quanto antes”. Data tem dia, mês e ano.
Envolva sua equipe na escolha da meta. Metas estilo top-down têm poucas chances de serem atingidas. Se a equipe sabe onde precisa chegar, eles se engajarão para alcançar.
Se forem metas pessoais, envolva sua família antes de bater o martelo. A unidade da família é poderosa demais! Minha esposa tanto me apoiou na meta que ela mesmo decidiu fazer a meia-maratona de Santiago, e completou heroicamente!
Mais uma dica: fuja de metas de vaidade. Se o número de curtidas no Facebook não é realmente relevantes para o resultado do seu negócio, deixe isso fora das suas metas. É melhor ter poucas metas que seja estratégicas, e manter o foco nelas, do que muitas metas aleatórias.
Resumidamente, utilizando a bibliografia mais conhecida sobre o assunto, estamos falado de metas SMART – Specific, Measurable, Attainable, Relevant and Time Based(Específicas, Mensuráveis, Atingíveis, Relevantes e com Prazo determinado)

Saiba como chegar lá

Metas estabelecidas, agora é hora de planejar o roteiro para alcançá-las.
1.  O que você e sua equipe precisa mudar para chegar lá? Se vocês não precisam mudar nada na rotina, provavelmente as metas não são relevantes o suficiente.
Eu gostava de correr no fim da tarde. O problema é que muitas vezes aparece algum compromisso, eu fico trabalhando até mais tarde ou chove na nossa querida Curitiba chuvosa. Para aumentar de 3 para 6 treinos por semana eu tive que mudar minha rotina: decidi acordar mais cedo e treinar antes de vir trabalhar. Não é fácil, se fosse fácil todo mundo faria. Para alcançar metas maiores preciso de mudanças maiores.
2. Como você irá monitorar o andamento das metas estabelecidas?Quais são as métricas, os indicadores, qual a periodicidade do acompanhamento destes indicadores? Quais são as metas parciais?
Há uma grande diferença entre uma aposta e uma meta. Eu aposto que o Bitcoin vai subir este mês. Se ele não subir, não significa que eu fiz algo errado e por isso ele não subiu. Simplesmente apostei errado (mesmo que o “apostar” envolva conhecimento do mercado, gráficos e macroeconomia). Metas são diferentes, não tem como chegar no dia da maratona e descobrir que eu tinha que ter feito um fortalecimento, que meu tênis era inadequado ou que eu não tenho fôlego pra isso. Metas são planejadas, trabalhadas e devem ser monitoradas constantemente.
3. Como serão comunicadas as metas, os indicadores, os sucessos das metas parciais?A comunicação é essencial para engajar o seu time no mesmo objetivo.

Just Do It

Agora que você já estabeleceu as metas e planejou como fazer é hora de fazer acontecer. Simples assim? Infelizmente não. É aqui que se separam os homens dos meninos (ou as mulheres das meninas, ok?).
Duas fortes características da natureza humana pecadora se revelam intensamente aqui. A maldita procrastinação e a vontade de desistir. Você precisa mudar sua mente (e a da sua equipe) para vencer estas duas forças que querem te impedir de avançar.
Procrastinação é um nome mais específico para o que a física chama de Inércia. Todo corpo parado permanecerá parado até que uma força atue sobre ele. Principalmente se estiver parado sob um cobertor quente em um dia frio e chuvoso. Procrastinação é o deixar para amanhã, o empurrar com a barriga, o “agora está muito corrido, mas quando sobrar um tempo eu vou fazer”… e não tomar a atitude que muda de uma vez por todas a sua empresa e a sua vida.
Para atingir suas metas, você precisará fazer aquilo que não é confortável, aquilo que você ainda não fez. Isto envolve investir seu dinheiro, assumir riscos, separar do tempo que não sobra, dizer não para algumas coisas e mudar a forma como sempre foi.
A vontade de desistir virá assim que aparecerem os primeiros obstáculos, ou quando as primeiras metas parciais não forem batidas. Você verá que é mais difícil do que parecia, e sentirá que você nem quer alcançar essa meta tanto assim.
Quando eu estava na maratona correndo há algum tempo, tentando estabelecer um ritmo legal, passei pela placa de 1 km. Devíamos criar uma lei proibindo placas de distância antes dos 10 km na maratona! Automaticamente meu cérebro faz a conta 42,195 menos 1 igual a… “que alegria, agora faltam apenas 41,195 km!”
Por isso, tenho alguns hábitos que me ajudam a criar o mindset correto para alcançar as metas:
1. Visualize-se com a meta alcançada. Se você não enxerga não alcança. Se não tem fé, não consegue persistir. Se você não tem algo hoje, é porque não visualizou lá atrás. Quando você visualiza, você sabe que conseguirá alcançar e dá menos importância para as dificuldades que aparecem. Veja os benefícios, as mudanças, o crescimento, o porquê de você estar fazendo aquilo.
2. Crie metas e recompensas parciais. Metas curtas ajudam a manter o foco. Metas com prazos muito longo te dão a liberdade de se distrair e perder a disciplina.
Minhas comidinhas com quilometragens pré-estabelecidas me ajudaram bastante a manter o foco.
3. Decida antes o que fará quando coisas imprevisíveis acontecerem. O imprevisível é, por definição, previsível. Você só não sabe o que, nem quando, nem como ele acontecerá, mas sabe que acontecerá. Se você decide antes, sua decisão é mais sábia e racional. Na hora em que acontece, sua decisão é emotiva e impulsiva.
Antes de iniciar a maratona, eu sabia qual tipo de dor me faria parar, para evitar lesões mais sérias, e qual eu teria que suportar. Se me desse vontade de ir no banheiro, eu tinha quatro pontos estratégicos no percurso em que eu poderia me desviar sem ter que abandonar a prova. Outros tipos de dor ou de cansaço não me dariam o direito de desistir. A decisão já estava tomada, eu não precisava mais ponderar isso durante a prova. Se eu tivesse que tomar alguma decisão desta durante a prova, provavelmente teria abandonado.
4. Conscientize-se do tamanho do esforço e da distância total a ser percorrida. Não se iluda achando que será tudo muito fácil. Saiba o quão difícil será e se planeje pra isso. Guarde energia, e dinheiro para aumentar o esforço nas próximas etapas.
No começo da maratona meu corpo estava muito confortável com o ritmo que eu estabeleci. Eu podia ir mais rápido, estava sobrando! Mas eu tinha consciência da distância que ainda tinha pela frente e por isso eu poupei energia, eu determinei o pace (a velocidade) que eu não poderia passar. Como tomei essa decisão antes de começar, durante a prova eu só precisei seguir o que eu já havia decidido.
A mudança é toda na mente, tenha consciência do que vem pela frente. Se você acha que não é possível, não será possível mesmo.
Ajuste o percurso no meio do caminho.
Tive uma lesão quando faltavam três meses para a prova e fiquei (no total) 40 dias sem treinar. Sobraram apenas 50 dias para eu recuperar o que foi perdido e ainda avançar o que eu não avancei nesse período. As metas parciais estavam arruinadas e o planejamento inicial não fazia mais sentido.
Não era mais possível eu continuar meu treinamento de onde parei por não haver mais tempo e também porque aquela carga de treinos poderia provocar o retorno da mesma lesão. Duas opções: desistir da meta ou rever completamente meu plano de treinos.
A primeira opção faria mais sentido, mas eu descartei, pela decisão que eu tomei quando a meta foi estabelecida: enquanto eu conseguisse enxergar uma forma de alcançar a meta, eu faria. Não me dei a opção de desistir.
Revi completamente os meus treinos, contratei um programa de treinos de um especialista em corrida e adaptei à minha situação durante essa fase final. Sucesso! Funcionou.
A meta vale mais do que o planejamento. O planejamento serve a meta, e não o contrário.
Claro que existem situações que a meta deixa de ser possível e você precisa abrir mão dela. Alguns dos que desistiram da maratona o fizeram por falta de preparo físico ou mental, mas outros não tinham a opção de continuar. Estavam em uma situação realmente séria, continuar poderia levá-los a perdas permanentes, a um custo que não compensaria.
Saiba determinar qual é a situação em que realmente a meta precisa ser abandonada e imediatamente trace a nova meta para não perder o investimento feito até aquele momento. Não deixe seu barco à deriva no oceano.
Se o seu planejamento não está dando certo, abra mão do planejamento e não da meta. Reveja, redirecione, estabeleça novas estratégias e planos de ação, reúna sua equipe para ter novas ideias, não procure culpados pelo insucesso, procure soluções para alcançar as suas metas!
Sua meta é atender mais clientes, aumentar o faturamento, aumentar a margem de lucro, reduzir custos comerciais ou fazer a empresa crescer? Então você precisa de uma agência 360° nós da equipe 2ks teremos o prazer de realizar essa parceria com você.


Comentários

O que você procura?